quinta-feira, 7 de abril de 2016

C O M U N I C A D O



EDITAL DE CONVOCAÇÃO – AGE

CONVENÇÃO COLETIVA DE  TRABALHO  2016
     
O Presidente do SINTAREMA no uso das atribuições que lhe conferem o estatuto e a legislação trabalhista em vigor convoca os Profissionais das Técnicas Radiológicas pertencentes à sua base territorial, para uma Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 16/04/2016, às 09h em primeira convocação e às 09h30min em segunda convocação, de acordo com o estatuto da instituição, no auditório do hospital Tarquínio Lopes Filho, localizado na Praça Carlos Guterres s/n Madre de Deus-centro São Luís–Maranhão, para deliberarem EXCLUSIVAMENTE sobre as seguintes ordens do dia:
1 – Apresentação, apreciação e deliberação da pauta de reivindicações da categoria para celebrar, Convenção Coletiva de Trabalho, Acordo, para o período a ser acordado;
2 - Discussão e deliberação para fixar o piso salarial da categoria para o período acima citado;
3 - Criação e Autorização da COMISSÃO para negociar e/ou instaurar Dissídio/Acordo Coletivo de Trabalho com a classe patronal.


Atenciosamente;

Benedito Naziazeno de C. Filho
Presidente


quarta-feira, 9 de março de 2016

INVESTIGADORES DA UC AVALIAM RADIAÇÕES NOS VEÍCULOS ELÉTRICOS

AS RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS EMITIDAS PELOS
VEÍCULOS ELÉTRICOS SÃO PERIGOSAS PARA A SAÚDE HUMANA?
Os primeiros resultados de um estudo, em curso, no Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), revelam que, os veículos elétricos são seguros.
Uma equipa de investigadores do ISR já efetuou várias medições em dois modelos elétricos e um a gasóleo (para efeitos de controlo), verificando que as radiações eletromagnéticas emitidas pelos automóveis elétricos estudados são, segundo os investigadores Paulo Coimbra e Tony Almeida, “500 a 1000 vezes inferiores aos limites máximos de exposição aos campos eletromagnéticos da população humana recomendados pela União Europeia”. Em comparação “com os veículos que usam combustíveis fósseis, os valores registados nos modelos elétricos não são elevados e são seguros para a saúde humana”, realçam os investigadores.
Este e outros estudos vão ser apresentados e discutidos, entre 10 e 12 de março, na quinta edição do Congresso de Proteção Contra Radiações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a decorrer no Auditório Lajinha Serafim do Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), no Polo II da UC.
O evento vai juntar cientistas e profissionais das mais diversas áreas, desde médicos, técnicos em radiologia médica e industrial, profissionais da indústria de petróleo e gás e utilizadores de fontes radioativas e de equipamentos geradores de radiações ionizantes e não ionizantes, até membros de órgãos reguladores e fiscalizadores e técnicos das áreas de segurança e medicina do trabalho.
Aqui vão ser discutidos temas como: efeitos biológicos das radiações, proteção radiológica em saúde, proteção radiológica dos trabalhadores e do público, gestão de fontes e resíduos radioativos, emergências radiológicas, radioatividade natural e cultura de segurança em proteção radiológica. O quinto Congresso de Proteção Contra Radiações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa é organizado pela Sociedade Portuguesa de Proteção Contra Radiações, liderada pelo cientista da UC, Luís Neves, e pela Sociedade Brasileira de Proteção Radiológica.
Fonte:
Gazeta do Rossio http://www.orossio.pt/

Em: 08/03/2016

sexta-feira, 4 de março de 2016

ACELERADORES LINEARES

Lançada pedra fundamental de 1ª fábrica do país

Construção da indústria foi possível devido a acordo de compensação tecnológica com Ministério da Saúde para maior independência do mercado externo e expansão do tratamento de câncer. O Ministério da Saúde e a Varian Medical Systems lançaram nesta quinta-feira (3/3), em Jundiaí (SP), a pedra fundamental da primeira fábrica de aceleradores lineares da América Latina. A construção da indústria é resultado de acordo de compensação tecnológica, promovido pelo Ministério para maior independência do mercado externo e expansão do tratamento de radioterapia no país. A previsão é que a construção seja finalizada até o final de 2017.

A fábrica está inserida no parque industrial Multivias, localizado em Judiaí (SP) e abrangerá uma área de 4,700 metros quadrados de edificação. Além do fornecimento de materiais, estão previstas outras ações de desenvolvimento, qualificação de fornecedores locais, desenvolvimento de softwares e a criação de um centro de treinamento e capacitação profissional no Brasil. Quando estiver pronta, a indústria de aceleradores lineares aumentará o acesso e a qualidade do tratamento de radioterapia no Brasil. Isso porque atualmente, tanto os aparelhos, aceleradores lineares, como suas peças e softwares utilizados na programação das sessões de radioterapia no país são importados. Isso interfere diretamente nos custos e preços, que sofrem constantemente com flutuações cambiais e tornam o Brasil totalmente dependente do mercado externo.
Essa ação faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde, lançado em 2012, para a construção e aumento da capacidade de atendimento dos serviços de assistência oncológica. “Isso que está acontecendo hoje é um marco para o Brasil. Antes do Plano de Expansão nós demorávamos de 10 a 15 anos para colocar um acelerador em funcionamento. Em dois anos, com esse acordo, nós já temos nove obras preparatórias para receber esses instrumentos. A fábrica representa o compromisso do Ministério em ampliar o acesso ao atendimento e melhorar a estrutura do SUS, garantindo uma política de saúde correta, abrangente e eficaz”, enfatizou o Diretor do Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde (DECIIS) do Ministério da Saúde, Joselito Pedrosa.
A nova indústria terá um centro para treinamento de radioterapia, salas de demonstração e uma área de armazenagem e distribuição de peças. Essa é a terceira unidade da empresa no mundo a produzir aceleradores lineares e a primeira na América Latina e no Brasil. “Com essa unidade no Brasil, a Varian está fazendo um investimento de  longo prazo para que haja maior difusão  do conhecimento e da melhoria do acesso de tecnologias já utilizadas nos maiores centros mundiais de tratamento do câncer”, explica Humberto Izidoro, diretor geral da Varian no Brasil.

Data de Cadastro: 03/03/2016
Por Gabrielle Kopko, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa

(61) 3315-2918/3174

quinta-feira, 3 de março de 2016

Sócio COTISTA a nova PRAGA na Radiologia

A TERCEIRIZAÇÃO ILEGAL NO RADIODIAGNÓSTICO.

As instituições (empresas) contratam seus funcionários de forma terceirizada através do regime de Sócio Cotista. A terceirização através deste sistema é uma prática ilegal, que tira dos profissionais diversos direitos trabalhistas como: Adicional de Insalubridade de 40%, Férias, FGTS, Jornada de 24 horas semanais e registro em carteira. Só que mesmo o trabalhador que atue nesse sistema tem o direito de entrar com uma ação judicial reivindicando o registro em carteira dos últimos 5 (cinco) anos se for o caso.
Essa irregularidade vai de encontro da Lei 7394/85, que normatiza a nossa profissão. É inadmissível tamanho desrespeito com os profissionais de radiologia, o pior é que essa nova forma de burlar os direitos trabalhistas dos profissionais do radiodiagnóstico, parte dos próprios profissionais que são coniventes ao criarem suas empresas nesse sistema (Sócio Cotista), só que eles esquecem que podem ser punidos através do código de ética profissional, coisa que talvez o próprio conselho de radiologia ainda não atentou para combater essa irregularidade, já que toda empresa que atua no setor tem que se regularizar junto ao conselho e pela justiça trabalhista.
Muitos radiologistas se submetem a este tipo de contratação em época de crise econômica não por falta de informação e sim por conivência e por saber que até o momento não tem punição. Você profissional das técnicas radiológicas, não aceite que seus direitos sejam desrespeitados não permita descaso e desvalorização.
Silvio Sousa da Silva 
Tecnólogo em Radiologia Médica.

.

TÉCNICO EM RADIOLOGIA LANÇA LIVRO SOBRE O CÓDIGO DE ÉTICA

        Tenho a honra de divulgar este trabalho do JORGE WILSON ANCHIETA  ARÚJO feito exclusivamente para os profissionais das Técnicas Radiológicas o livro “COMENTÁRIOS AO CÓDIGO DE ÉTICA DO TÉCNICO EM RADIOLOGIA”.Trata-se de uma obra inédita na área do radiodiagnóstico no âmbito da ética profissional de valiosa contribuição para toda a categoria.



Vendas:
bigode345rx@hotmail.com.br
Telefone: (021) 98590-9552
Editora Albatroz/RJ
www.editoraalbatroz.com.br



Lei dos Técnicos em Radiologia Beneficia os Biomédicos

BIOMÉDICOS SÃO FAVORECIDOS PELA LEI 7.394/85 
QUE REGE A PROFISSÃO DE TÉCNICO EM RADIOLOGIA.

       A DASA pagará indenização para biomédico por desvio de função. O cenário econômico do país demonstra uma alta no desemprego, isso fez muitos profissionais se adaptarem à nova realidade, mudando hábitos, diminuindo o padrão de vida e aceitando trabalhar em áreas diferentes da sua formação. Na área da radiologia não é diferente, muitos biomédicos estão atuando como técnicos em radiologia de forma ilegal. Algumas empresas aproveitam o momento crítico para contratar “um pelo peso de dois”. É assim que grandes instituições diminuem a folha de pagamento, sobrecarregam funcionários, expondo-os a jornada excessiva de trabalho descumprindo a Lei 7.394/85, que estipula carga de 24 horas semanais para os profissionais das técnicas radiológicas, enquanto os biomédicos seguem a CLT com 44 horas semanais.

           Mesmo com lei específica para a categoria, casos de contratações irregulares ainda se repetem, como na empresa DASA (Diagnósticos da América S/A) que em audiência executada na 41ª Vara do Trabalho de São Paulo, perdeu a ação movida por ex-funcionário biomédico favorecido pela Lei 7.394/85 que regula o exercício da profissão de Técnico em Radiologia. Essa é a luta do SINTARESP em prol da categoria, buscando mediar os conflitos e se necessário entramos com ação judicial para favorecer a classe.

           No processo Nº 0002619-41.2013.5.02.0041 a empresa DASA foi sentenciada a pagar indenização de aproximadamente R$ 100.000,00 a um ex-funcionário, referente a 12 horas extras por semana de trabalho, aviso prévio, férias mais 1/3, 13º salário e FGTS mais 40%; adicional de periculosidade. Várias sentenças a favor do desvio de função foram julgadas com base na Lei 7.394/85 que regula o exercício da profissão de Técnico em Radiologia. A boa notícia é que já está virando jurisprudência (conjunto de decisões judiciais proferidas num mesmo sentido), com isso o profissional que trabalha em condição irregular ao entrar com ação judicial terá a causa ganha, tamanho o número de processos com casos semelhantes. VOCÊ, BIOMÉDICO, QUE TRABALHA COM RADIAÇÃO IONIZANTE, ENTRE COM AÇÃO JUDICIAL AO SER DEMITIDO, QUE GANHARÁ A CAUSA!

FGTS como penhor para crédito consignado.

Com o anúncio, na última 5ª feira (28), durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico, o Conselhão, do lançamento de um novo “pacote” para reativar a economia brasileira, o governo tenta passar a imagem de que está se esforçando para conter a dura crise que o País enfrenta, com a insolvência de empresas e uma taxa de desemprego assustadora. Mas não está conseguindo!
Pela proposta apresentada, até 10% do saldo total do FGTS, mais os 40% da multa, poderão ser utilizados como garantia de pagamento aos empréstimos consignados. Isto é péssimo para o trabalhador que recorrer a este tipo de financiamento, principalmente nos momentos mais difíceis, como no caso de sua demissão sem justa causa. Serão R$ 17 bi de recursos originários do FGTS para que os R$ 83 bi que o governo pretende injetar na economia sejam completados. Algo como penhorar o FGTS para garantir quitação da dívida.
Afinal, como estimular a economia, por meio do crédito, num cenário de indefinições econômicas, com os juros nas alturas, inflação agressiva e queda da renda? Quem sairá ganhando com o pacote, como sempre, serão os banqueiros que concederem os empréstimos, pois estarão protegidos contra a inadimplência, enquanto o trabalhador, desempregado e cada vez mais endividado, não terá sequer como manter seus compromissos e o sustento dos seus até conseguir outro trabalho.

               Conceder mais crédito não basta para alavancar a economia. Não com os juros exorbitantes praticados hoje no Brasil, atualmente de 14,25% a. a. Nem apelar pela aprovação do retorno da polêmica CPMF e pela reforma previdenciária.
A Força Sindical vai pressionar o Congresso Nacional, que deverá votar a proposta antes que ela seja regulamentada, para que mais esta armadilha não seja utilizada contra os trabalhadores. E vai intensificar a luta contra outras arbitrariedades que o governo vem impingindo sobre a classe trabalhadora, como nas questões do novo imposto e da reestruturação unilateral da Previdência, por juros menores e pela correção da tabela do IR, entre outras demandas.

Paulo Pereira da Silva, Paulinho
                Presidente da Força Sindical e deputado federal