quarta-feira, 30 de agosto de 2017


Profissionais de END se reúnem com a Abendi no Nordeste

Transformar a atividade de END em uma profissão regulamentada e a criação de um sindicato da categoria. Essas e outras reinvindicações marcaram mais um Encontro de Profissionais da Abendi, realizado na semana passada, no Senai de Salvador, na Bahia, com 50 pessoas, aproximadamente. Foi a quinta reunião. As anteriores aconteceram em São Paulo e no Rio de Janeiro. Inspetores de fabricação e de várias modalidades de END participaram das discussões. A seguir, conheça os principais pontos debatidos:
  • Baixo piso salarial: profissionais reclamaram que, por conta da baixa atividade econômica, as empresas estão reduzindo os valores pagos aos técnicos em inspeção;
  • Sindicato: solicitação de apoio da Abendi para a formação de um sindicato focado em defender os direitos trabalhistas dos profissionais;
  • CBO: apresentar, à Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), um reinvindicação formal para oficializar a atividade de END como profissão;
  • Contratantes: foi pleiteado, à Abendi, uma atuação mais forte, junto às empresas em geral, quanto à exigência da certificação de pessoas como fator de confiabilidade no trabalho;
  • Fiscalização: destacada a necessidade de pressionar o Ministério Público do Trabalho para fiscalizar empresas que, além de não cumprir entre outras regras de segurança, contratam apenas um profissional de END para trabalhar em várias modalidades (certificações).
Para finalizar, o gerente do Centro de Exames de Qualificação (CEQ) da Abendi, Marcelo Neris, comentou sobre a importância em seguir as regras de ISO 9712 (norma internacional para certificação de profissionais de Ensaios Não Destrutivos) com forma de manter o mútuo reconhecimento entre os países.  Aliás, essa é uma reivindicação da Abendi junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para que essa instituição comece a exigir das empresas de prospecção o atendimento à norma no momento de contratar inspetores de END. Além de Neris, o diretor executivo da Abendi, João Conte, também participou da reunião. A data e o local do próximo encontro ainda não foram escolhidos. Após essas definições, os profissionais serão comunicados previamente por email e também por nossas redes sociais e demais veículos de comunicação.

Fonte:
abendiblog 30 de agosto de 2017 URL: http://wp.pe.me/p4gSuN-Je

terça-feira, 6 de junho de 2017

Maranhense assumi a presidência do CONTER

Conheça o Presidente do CONTER

       O 7º Corpo de Conselheiros do Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) tomou posse neste sábado, dia 3 de junho de 2017. 
     O mandato começa no dia 4 de junho de 2017 e termina no dia 3 de junho de 2022. Conheça cada um dos membros que vão dirigir a autarquia federal.


 TR. Manoel Benedito Viana dos Santos 
(CRTR 17ª Região-MARANHÃO/PIAUI)
Presidente
       Nascido no Maranhão, exerce as técnicas radiológicas desde 1982. Além da formação na área da Radiologia, possui graduação em História e pós-graduação em Direito Administrativo. 
      Atuou em diversos hospitais e exerceu funções no Ministério da Saúde. Foi diretor-secretário e, posteriormente, presidente do CRTR 17ª Região. 
    Exerceu o cargo de membro efetivo da Coordenação Nacional de Fiscalização (CONAFI). Na primeira reunião do 7º Corpo de Conselheiros, foi eleito presidente do CONTER.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

MAMOGRAFIA

Atualização em Mamografia para Técnicos 

em Radiologia - EAD 


Objetivo: Atualizar os conhecimentos para realização da mamografia com a melhor qualidade possível, seguindo as normas técnicas, padrões e condutas recomendados.

Ementa: Anatomia, Fisiologia e Doenças da Mama. O Câncer da Mama. A Mamografia na Prática Clínica. O Papel do Técnico em Mamografia. Técnica da Realização da Mamografia. Controle de Qualidade em Mamografia. Proteção Radiológica.

Pré-requisitos: Vínculo empregatício com serviços de radiologia que realizam mamografias.

Público Alvo: Técnicos em Radiologia

Carga horária total: 60 horas

Duração do curso: 02 (dois) meses

Regime de aulas: Curso oferecido na modalidade a distância

Período previsto para realização: De 03 de julho a 03 de setembro de 2017

Observações: O acesso à plataforma somente será liberado na data de início do curso

Coordenação do curso: Sonia Maria da Silva Sabino

Informações: ensinotecnico@inca.gov.br

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Boletim Acompanhamento de Proposições




PL - 03661/2012 - Altera a Lei nº 7.394, de 29 de outubro de 1985, para dispor sobre o exercício das profissões de Técnico e Tecnólogo em Radiologia e de Bacharelem ciências Radiológicas; revoga dispositivos da Lei nº 7.395/85, de 29 de outubro de 1985, e a Lei nº 10.508 de 2002; e dá outras providencias.  
       Em 28/03/2017 - Apresentação do Requerimento de Audiência Pública n. 462/2017, pela Deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), que: "Requer a realização de Audiência Pública para discutir o Projeto de Lei 3.661, de 2012 que 'Altera a lei nº 7394, de 29 de outubro de 1985, para dispor sobre o exercício das profissões de Técnico e Tecnólogo em Radiologia e de Bacharel em Ciências Radiológicos; revoga dispositivos da Lei nº 7.394, de 29 de outubro de 1985, e a Lei nº 10.508, de 10 de julho de 2002; e dá outras providências''.             
 Fonte: Tramitação@camara.gov.br em 16/05/2017                                                                                          



sexta-feira, 12 de maio de 2017

AGORA LASCOU!!!

TST decide que técnica em ressonância

 não tem direito à jornada de radiologistas

          A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho julgou improcedente a pretensão de uma técnica em ressonância magnética da Clínica Villas Boas S.A., de Brasília (DF), de ter suas atividades enquadradas naquelas atribuídas ao técnico em radiologia, o que lhe daria direito ao recebimento de horas extras relativas à jornada reduzida de trabalho de 24 horas semanais, prevista na Lei 7.394/1985. A relatora, ministra Dora Maria da Costa, explicou que a técnica adotada no exame de ressonância magnética não inclui operações com raios X, não se justificando, assim, a redução da jornada.
         A empregada requereu as diferenças relativas à jornada com o argumento de que realizava todas as atividades da categoria profissional dos radiologistas. Sem êxito no primeiro grau, ela conseguiu a reforma da sentença no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF-TO), que a enquadrou como técnica de radiologia e condenou a clínica ao pagamento das horas extraordinárias.
        A relatora do recurso da empresa para o TST observou que o Tribunal Regional deferiu o enquadramento com fundamento Resolução 6/2009 do Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (Conter), que incluiu o setor de diagnóstico por imagem entre as atribuições do técnico em radiologia. No entanto, destacou que o Conter não tem competência para ampliar o alcance do inciso I do artigo 1º da Lei 7.394/85 a fim de abranger profissional que não lida com raios X. “O dispositivo, ao definir a área de atuação dos técnicos em radiologia, é taxativo ao elencar o rol das técnicas realizadas que configuram quais trabalhadores são reputados técnicos em radiologia”, afirmou. “Ocorre que, por determinação constitucional (artigo 22, inciso I, da Constituição), compete privativamente à União legislar sobre direito do trabalho”.
Dora Maria da Costa acrescentou ainda que a ressonância magnética é um exame que se baseia em campo eletromagnético, “como sendo uma espectroscopia” e, nessa atividade, não há radiação ionizante. “Sendo assim, os técnicos em ressonância magnética não fazem jus à jornada semanal de 24 horas, benesse legal diferenciada justificável em razão do prejuízo à saúde que a operação de aparelhos de raios X gera ao ser humano”, concluiu.
Processo:ARR-899-67.2014.5.10.0013 - *Informações do TST 
Fonte: PorSaúde Jur em maio 5, 2017 - http://saudejur.com.br

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

PROJETO DE LEI EM DEFESA DOS PROFISSIONAIS DA RADIOLOGIA

          A Câmara Municipal de São Luís aprovou por unanimidade o Projeto de Lei Nº 029/2016, de autoria do Vereador Pavão Filho, que dispõe sobre os requisitos para aplicações das atividades inerentes aos Tecnólogos, Técnicos e Auxiliares em radiologia na capital Maranhense.